Critical Watcher
Esse texto eu já havia postado há alguns dias, no entanto, em outro blog. Talvez esse seja um dos textos que mais trazem à tona o sentimento de indignação diante da realidade nua e crua à qual estamos submetidos. Eis:

"Cores brilhantes e amarelas. Estou constantemente a vê-las. Pescoços felizes são, diariamente, iluminados por sua suposta beleza. Dedos limpos, bem cuidados. Lá estão eles, todos os dias com a mesma função. O tempo passa e nada os muda. São apreciados em essência... Bastou-me fechar os olhos. Uma realidade começa a se despir defronte minhas mãos imóveis. O choro. A criança. A fome. O desespero materno. Continuo atentamente a observar. Como que antagonicamente, as cores perdem o brilho reverenciado. O feliz não enxerga o triste. O insatisfeito com seus quilos a mais opõe-se ao pai desesperado. E nada muda. Uma família parece perder mais um. Mais um grito de piedade. Aflição, medo, cólera. Os sinos tocam e as luzes apagam-se. Dividem-se as imagens. Vejo de um lado aquele brilho renascer. Do outro, escuridão. Vejo o ouro cintilante palpitar nos corações dos que esquecem a realidade humana. O meio os transformou. São cegos e surdos - sem atitude alguma... E nós aqui estamos. Sorrisos perfeitos, estômagos fartos, bocas molhadas... Carro na porta, bom emprego, dinheiro no bolso. Não poderiam faltar também risos ao vento e a felicidade estampada. E não muito longe, escuto o choro de mais uma família, onde pessoas morrem e a escassez apropria-se da vida. O temor atinge o ápice de sua satisfação. Destrói amargamente a fragilidade esquecida...
.

.
.
Mas de tudo, o mais lastimável é saber que outra noite chega a transcorrer normalmente aos olhos dos que conseguem descansar sobre o seu conforto incomum e tão restrito."
2 Responses
  1. dan Says:

    Opostas e impostas, suas palavras dizem o que falam. Sim, dizem o que falam, pois há muitas pessoas, ao contrário de você, que falam, falam, e falam, mas não são capazes e tampouco hábeis dizer o que realmente importa. Aos que leram, com certeza, pensarão duas vezes antes de reclamar.


  2. Anônimo Says:

    A felicidade das pessoas tem fundamento na infelicidade de outras. Alegria e tristeza, sorte e azar, riqueza e pobreza, guerra e paz, são pontos extremos de uma mesma substância. Um não faz sentido sem o outro...
    Além do mais,será que existe algum lugar no mundo no qual todos são felizes?