Critical Watcher
I didn't really know what to call you
You didn't know me at all

But I was happy to explain

I never really knew how to move you

(Communication - The Cardigans)

Ouvi uma frase que me fez parar e pensar por muitos preciosos minutos. Eis: "O amor nada mais é que o ato da gente ficar no ar, antes de mergulhar." Fiquei emocionado desde o primeiro instante em que essas palavras vieram a mim, como minhas. A simplicidade em que foi escrita e os infindáveis conceitos e sentimentos que estão entre essas poucas palavras arrancaram-me suspiros de felicidade e dor que nem eu mesmo esperava. Mil imagens se fizeram presentes, desde então. Memórias que eu quero que não apaguem...

- Ele prometeu amá-la com todo o fervor de sua vida. Jurou que nada faria aquilo acabar, fez juras de amor e relembrou ser fiél pela eternidade. Mas ele não conseguia... Seus instintos masculinos sempre iam além do que era permitido e os grandes amores iam sendo perdidos, com o tempo. Amou a ponto de ter ódio de si mesmo, por não conseguir fazer da fidelidade algo presente em seus relacionamentos. Para ele, traía apenas pelo sexo, pelo prazer derramado na cama, pelos beijos que conseguia arrancar e armazenar dentro de sua caixinha de lembranças. E todas essas coisas o deixaram. Sem mais sexo, sentimento ou calor.

- Subiu na mais alta cachoeira que havia ali perto. Lágrimas que não paravam de rolar em um rosto triste e amargo. Foram menos de dez segundos até a sua queda na superfície rígida da água. Percebeu, nesses instantes ínfimos, o que representava o sentido maior da vida... Quanto maior era o amor, maior era o tempo no ar... E quanto mais alta era a cachoeira, maior era o amor.

Restou apenas um colorido vermelho naquelas águas correntes, que pareciam bater como um coração, sem parar.
12 Responses
  1. Adorei demais esse texto, acho que é mais uma frase sua que eu vou guardar pra sempre: 'o amor nada mais é que o ato da gente ficar no ar, antes de mergulhar'.
    "Give me your eyes so I can see me straight, give me your eyes and watch me walk away. I took a look at myself,nothing inside, except for cigarettes and wine where there should be a life" [The Cardigans - 'Give me your eyes'] abraço.


  2. Teus textos sempre lindos e tristes, não?
    Eu me perco nas entrelinhas,


    e choro.


  3. Brother21 Says:

    Comunicação: um ato de interação, de troca, de partilha, o estabelecimento de vínculos. O amor: sentimento dotado de uma subjetividade ímpar que nos invade por inteiro de vez em quando nesse universo contemporâneo de sentimentos efêmeros, relações de plástico.Comunicação e amor duas palavras imbricadas uma na outra, uma dependência vital mútua. Um vínculo, uma comunicação de palavras...Em um mundo líquido, de amores líquidos... o amor parece como propulsor de nossas vidas e a comuniação atrelada a experiência tátil nos faz seres humanos, providos de humanidade, de emotividade e de uma aparente solidez sentimental. Estarrecedor seu post. Você conseguiu algo que poucos conseguiram: conceituar uma palavra deveras complicada de expressar em palavras. Irei guardar sua definição, parece que o sentimento ganhou palavras e saiu... desabrochou.. fluiu na tela liquida... Communication do The Cardigans: um banquete auditivo. Seu post: um banquete visual. Multisensorialidade exacerbada... explosão da subjetividade...

    Thiago Tavares


  4. Ana Carolina Says:

    Ficar no ar, antes de mergulhar. Dá que pensar. Texto bonito :)


  5. Subjetivo... sempre o vi assim em seus textos. Muito bom, moço.


  6. Amor nada mais é do que sentir-se abraçado e protegido por alguém em que sentimos confiança, liberdade e paz de espírito.

    Suas palavras sempre soando como versos líricos de canções "inacabadas"... Sim. Porque sempre continuará por vários e vários dias.

    Abração, Freitas!
    ;)


  7. L. Malloy Says:

    Acompanha o meu blog, por favor.

    L.


  8. Aos melhores textos! Tem um selo pra ti no meu blog. *-*

    Beijos (saudade de ler mais viu?)


  9. A frase completou a história e vice-versa. Triste mais brilhante.

    Beijos doces de sol e de lua.


  10. perfeito. nem mais nem menos que isso.

    Beijo :*


  11. o amnésico Says:

    Apenas dois tipos de pessoas poderiam descrever o que se passa na mente de quem já tentou sair da vida pela porta dos fundos: o poeta e o suicida.

    Espero que você pertença apenas à primeira categoria.


  12. micael Says:

    Inicialmente queria pedir obrigado. Textos assim que não são feitos apenas para serem lidos. Durante dez segundos estive no ar, meu caro. ^^
    É um texto que nos leva à refletir. E durante esses dez segundos parei pra pensar se eu seria capaz de subir numa cachoeira alta o bastante. Sinto que esse pensamento vai durar incessantemente de modo que dez segundos serão poucos. Acho que subirei numa cachoeira, sem olhar para baixo.