Critical Watcher
_____Ele só queria amar com todo o seu fervor. Jurava que um dia o vazio de seu coração seria preenchido por alguém e que a raiz da solidão obscura dos não amados sumiria eternamente de sua história... Sofreu como uma criança que chora diante da recusa da compra de um presente, acreditando um dia encontrar o amor de sua vida.
_____Mesmo provido de inteligência e bom-senso, quase nunca conseguia sentir o amor de ninguém e, quando o fazia, após semanas, a traição batia grotescamente na sua porta. A raiva o consumia, a tristeza assolava seu espírito e o desapego lutava em não partir. No fim, sempre conseguia vencer e lidar com essas situações. A partir de então, prometeu tentar amar aquelas que jurassem seu amor, mesmo sem sentir nada. Essa prática era completamente contrária aos seus princípios, cuja base estava norteada no fato de amar primeiro, namorar, fazer viagens, viver juntos numa mesma casa e depois casar.
_____Dessa vez, resolveu fazer diferente. Quis tornar o amor um sentimento secundário e não restritivo a um romance qualquer por alguém que parecia sentir algo por ele. Já não agüentava mais tentar entender o que se passava na cabeça das pessoas, pois para todas elas tal esforço não era válido; era indigno. A introspecção e o conhecimento de seu interior foram atividades conseqüentes. Leu mais, ficou uma temporada inteira longe de seus amigos, pesquisou sobre Filosofia e Artes.
_____Com Michel de Montaigne, escritor francês, aprendeu que ‘a filosofia era puramente uma poesia sofisticada’, na qual o homem é o canto lírico de cada verso. A saudade também foi motivo de descobertas. Para ele, era um bem supremo, uma necessidade concreta de existência. Sentir saudades era a prova de seu amor. E mais uma vez concordou com Montaigne na idéia de que ‘quem não toma tempo para ter sede, não sabe o que é beber’. Já se sentia preparado pra voltar ao mundo e, começou incrivelmente a ser feliz, após ter compreendido esse lado adormecido de sua mente, que inevitavelmente o fazia crer que tudo tinha seu tempo e que sua hora havia de chegar.-
______________Aprendeu a manipular o jogo do amor.
34 Responses
  1. Quem não tem saudade não sabe o que é amor.

    Que bom ler um post seu, Vicente! Suas palavras são certeiras e de uma sensibilidade rara.

    Um abraço.


  2. Camilinha Says:

    eita menino... que bom te ler por aqui... sinais de suspiros por aí, né?!

    sobre o jogo do amor... hum... talvez a verdadeira apreensão do jogo esteja no próprio ato e não, necessariamente, no filosofar do fato. entendo que só se aprende jogando e, nesse caso, só se joga quando se perde ou ganha...

    beijos daqui...


  3. Clecia Says:

    Olá!Fiquei muito feliz com a sua visita no Mar Azul. Aqui estou para retribuir a visita e também para dizer que gostei deste cantinho e vou linká-lo, ok? Ah!Amei o texto! Bjos e um ótimo fim de semana


  4. As vezes é bom se retrair e fazer um balanço de tudo aquilo que se sente, como nesse caso, porque quando se volta, suas pernas estão mais forte e seus olhos mais abertos tanto para entender as pessoas quanto os seus proprios sentimentos.

    Otima postagem.

    Abçs!!!

    Tem novidade no blog, mas se puder, tem uma mensagem pra vc na postagem anterior de aniversário do blog.

    ----------------------------------
    Delírio - Ser e Ter

    http://emlinhas.blogspot.com/

    EM LINHAS...
    Quando as palavras se tornam o nosso mais precioso divã.
    ----------------------------------


  5. >>>Lis Says:

    para um garoto... vc é muito sensível. acabando com minha teoria de q os homens não sabem amar. e o que vc escreveu é verdade.
    Existe tempo para todas as coisas abaixo do firmamento, e creio que etamos abaixo dele.
    Enfim...muito bom seu post. valeu a pena ter conferido.


  6. jguerra Says:

    Olá. Atravessei a blogosfera e encontrei o seu blog, falando de amor, de jogos de amor, de aprender a dominar o amor e seus jogos.
    O amor atravessa também a blogosfera. Por que será assim tão importante?
    Um abraço


  7. Lyra Says:

    No amor é, de facto, preciso saber jogar e saber ganhar e saber perder...

    Adorei!

    Beijinhos e até breve.

    ;O)


  8. Pequena Gi Says:

    Estudar o amor... entender o amor. Controlar o amor. Manipular o amor. Sujeitinho difícil esse aí, hein?

    Tanta delicadeza em lidar com as letras. Só vc mesmo, Vi. Parabéns pelo post.

    Estou de volta, assim como vc, pelo q percebi. Logo mais o Sede retoma sua vida. depois de uma mteporada fora por causa de um lugar chamado faculdade, que me consome tantooooo!
    Obrigada por n ter abandonado meu blog, mesmo enqto eu estive fora.

    beijos!


  9. É preciso ter paciência e esperar por um amor que nos complete. Enquanto isso, a gente fica por ai, imaginando histórias, contos de fadas, lendo sobre outros amores... E vivendo a vida. Uma hora chega a nossa hora.

    Como eu tinha dito, seu texto lembrou bem o que sempre diziam na época do Barroco: "A vida é um teatro". Outra que era de ordem do Barroco era: "Aproveita o dia de hoje!"

    Escreve sempre textos fantásticos, Critical!

    Um abraço e boa noite!
    =]


  10. Com o tempo ele vai aprender que a gente pensa que sabe, mas não sabe de nada!
    Ah, somos pobres mortais apaixonados, tentando manipular o amor.
    Beijo


  11. Dan Ferreira Says:

    Deveras que para vencer, é preciso saber jogar. Paciência, pensamentos, sentimentos, derrotas e vitórias acompanham todas as partidas que jogamos na vida. É isso que nos torna humanos e capazes de aprender. E mais uma vez deveras que para saber jogar, nem sempre é preciso vencer.

    Mais uma vez preenchido por teus textos.


  12. - anderson Says:

    Muitas vezes fico impressionado com teus textos por serem beeeem semelhantes com o que sinto, mas dessa vez foi tão semelhante que me deixou perplexo ;D Acho que a única parte que não bate comigo é o final, pois é, acho que não manipularei nunca esse jogo do amor :x na maioria das vezes me sinto mais como 'bandeirinha' do amor como próprio jogador x)


    fica bem! abração!
    [saudades]


  13. Jaya Says:

    Foi como se você narrasse meus desejos, medos e anseios, Vicente. Fui lendo tudo me enxergando como personagem. E no fim, me deixei levar. Acredito igual a você.

    Fico daqui esperando minha poesia chegar, enquanto me delicio com a tua.

    É bom te ler outra vez, menino bonito.

    Beijão.

    P.S.: Obrigada pelas palavras sempre doces em meu canto.


  14. oi!!
    tudo bem...
    bom adorei o texto!!
    o blog nem se fala...hehe
    achei muito interessante a sua sensibilidade...
    show!!
    t++++
    abraZz!


  15. Lyra Says:

    Passei por aqui só para deixar um beijinho.

    Até breve.

    ;O)


  16. desuairma Says:

    E quantas vezes precisamos de uma base para viver de verdade?

    O amor, a amizade, a conquista, o "satisfazer", o desejo, e quantas coisas existem que nem a metade ainda descobrimos o real sentido.

    Quantos viveriam mais felizes sabendo com o que vivem?

    Gostei do post.
    Beijos!


  17. o amnésico Says:

    Há que se experimentar e conhecer o próprio interior antes que as pessoas deixem de ser uma charada maldosa e se tornem um belíssimo mistério. E isso, como bem vc diz, não é fácil.

    O que torna a coisa tão poética, suponho...

    Grande abraço e sorte no jogo, meu amigo!


  18. Ana Says:

    As perdas e ganhos fazem parte da vida e do amor...

    Mas... "Tudo tem seus seis meses..." (Guimarães Rosa)

    Beijo!


  19. Alice Matos Says:

    Incrível constactar que na vida tudo é jogo... até o amor...

    Joguemos, então... mas ditemos as regras do nosso jogo, ou assumemos o desejo de jogar o jogo do outro...

    Um beijo para ti...


  20. No aguardo de novos posts...

    Voce é a favor dessa proibição?

    Então, opine:

    ----------------------------------
    Os Jogos Violentos

    http://emlinhas.blogspot.com/

    EM LINHAS... 1 ANO
    Quando as palavras se tornam o nosso mais precioso divã.
    ----------------------------------


  21. M. [doc] B. Says:

    Havia esquecido a tamanha qualidade e o quão aconchegante são teus escritos. Muito tempo que comento aqui, mas sempre que posso venho ler alguma de tuas novidades. Acho que você nem lembra de mim, mas guardo imenso carinho por você desde que começei a gostar de quimica ( confesso que imaginar a tua imagem me ajudou imensamente!) Muito louco sim, esquece!

    Tive uma grande identificação com esse texto. É a questão do amar com reciprocidade ou não, e perceber que se há saudades, há também amor. Estranhamente gosto de sentir este sentimento pungente, ele me faz perceber o bem que me causa determinada pessoa ou coisa.

    Voltarei mais vezes, abraços!


  22. Estrela Says:

    ..e mesmo que não se aprenda o bonito é continuar jogando!
    Abraço!


  23. Mr. Ziggy Says:

    A vida é assim mesmo, a gente se propondo a mudanças... agora, lidar com o amor, é sempre um escorrega na manteiga. Vamos ver se ele realmente aprende, mas sem tantos receios e/ou couraças. Abraço!


  24. apesar de tratarmos tanto o amor como um jogo..ou uma batalha.
    eu ainda acredito que ele seja exatamente real e completo quando voce simplesmente abaixa as armas e entrega as cartas..
    ;*


  25. Jogos de azar, jogos de amor....existem vários tipos de amantes como este que busca encontrar uma pessoa 'ideal', mas isso é utopia.
    Então o que resta é a manipulação, do amor, do prazer ou só da solidão que restará...

    Beijos, saudades daqui.>>


  26. Jaya Says:

    Passando pra deixar um beijo. E pegar um pouco mais da poesia. Rs. Li de novo, já que você não colocou palavras novas, né?

    Abraço, Vicente!


  27. Lyra Says:

    Passo por aqui para te ler e reler, o que sabe sempre muito bem!

    Aproveito para te desejar uma execelente semana.

    Beijinhos e até breve.

    ;O)


  28. Luca Says:

    a necessidade de se desvincular dos abismos dos sentimentos nos faz crer que racionalizá-los nos é mais digno.

    sempre qdo eu sofro, eu tenciono a pensar, refletir e tomar novas atitudes. de repente, sinto-me renovada, crente que, da próxima vez, tomarei as rédeas da situação.

    aí o amor vem e ganha aquilo que, na verdade, eu nem tinha: a razão.

    nem digo que a busca pela razão seja ilusão, só penso q ela é mais burra q o coração.

    beijooooooooooooooooooossssssssssss

    num sei pq demorei tanto a retornar aqui...

    :-O


  29. o amor diz mais e não mais que mil palavras... é bom quando silencioso, quando cheio de gritos. é como a paz, que, talvez, não se resuma ao silêncio.
    bem, o melhor do amor é fazê-lo, senti-lo. então vamos por esse caminho, que a estrada é boa.
    valeu, Vicente!


  30. Lyra Says:

    Olá,

    Chegou a atura de eu tirar umas férias :O)))

    Entretanto deixei, no meu blog, um “presente” para todos os meus amigos. Espero que gostem!

    Tudo de bom para ti.

    Beijinhos e até breve.

    ;O)


  31. R Lima Says:

    Neste jogo.. ambíguo e por vezes mordaz,.. só vale o final bom.

    A glória do amor.

    Abçs e,




    Venha ler AMANHÃ, dia 12, um texto em comemoração a data.. lá no AveSSo.


    Visite e Comente... http://oavessodavida.blogspot.com/

    O AveSSo dA ViDa - um blog onde os relatos são fictícios e, por vezes, bem reais...


  32. Poesia! Says:

    olá!
    sou adm. do O Fogo Anda Comigo (thefirewalkswithme.blogspot.com)
    e gostaria de ser um parceiro seu...
    abraços!


  33. Glau Ribeiro Says:

    Olá Vicente,

    Vim passeando por alguns jardins até chegar no teu, enfeitado que só ele. E, eu, com minha boa mania de ler e esquecer do tempo, fui colorindo meu céu com tuas palavras, boas toda vida de colorir.

    Quanto texto bom. Quanta palavra boa. Quanto sentimento bom me provocou.

    E quem não tem saudades, não sabe bem o que o amor faz. Essa delicada e incessante troca: olhares, sorrisos, toques, cheiros e misturas todas. Aquele gosto pelo gostar fácil. Simples, assim.

    Muito bom passear pelo teu canto, me atrevo a voltar sempre.

    Bjs!


  34. ONYX Says:

    Estou quase virando um fã seu já.

    Parabens mais uma vez pelo blog.