Critical Watcher

Eu tinha você sob meu domínio. O que eu sentia não passava de um desejo carnal, de uma cobiça. Esperava encontrar apenas um alguém que pudesse me fazer sentir prazer em desperdiçar tempo, andando sem rumo num caminho infinito e apreciável. Isso não era pedir demais – muito menos uma intrínseca necessidade a ser concretizada. A leveza de minha alma não transformava meus anseios em dúvida e desespero. Ao contrário. Aquele estado de insulamento confiava aos meus atos mais força e serenidade. O vento parecia acariciar-me, contribuindo significativamente à felicidade de meu eu. A natureza, por sua vez, persuadia-me com palavras meigas e sedutoras. Eu estava na mais completa embriaguez psicológica. Nada conseguia transtornar a flexibilidade de meus sentidos, até que o momento inesperado surge. Como em uma forte tempestade, eu perdi toda a segurança que conquistara durante anos. O fracasso sobrepôs-se à minha fiel paz interior, traduzindo-se na destruição completa de meu conceito de vida. Queria estar com você, desafiando o futuro e as minhas próprias imposições. E eu não conseguia me entender, pois todos os meus princípios estavam sendo desobedecidos pelas minhas próprias mãos. A razão, minha única aliada, enfurecidamente tentava ensurdecer e cegar minhas emoções. Nas noites que seguiam, a solidão sempre estava a bater na minha porta. Ameaçadora e destrutiva, seu silêncio era capaz de me fazer trepidar descontroladamente. E quanto a você? Ah, isso era o que mais me incomodava. Nenhuma reação de reciprocidade visível; ficou inerte, como se tudo que eu sentia não tivesse valor algum diante do que você buscava. Demonstrava, mesmo sem intenção alguma de me prejudicar, a sua indiferença. Eu passava semanas planejando situações que possibilitassem nossa aproximação, para que eu pudesse pôr fim à ausência que você me causava. De nada adiantava. Sentia-me como um pássaro atingido durante um vôo: sem mobilidade, indefeso e sem perspectivas futuras. Eu tinha a certeza de que havia uma conspiração contra nós dois. Havia algo que não se conformava com a nossa união. Sim, havia. Décadas passaram, felicidades foram esquecidas, sorrisos extintos. Muitas coisas aconteceram, mas a mais nociva delas foi a sua partida. Não sei por onde você anda; perdemos inteiramente o nosso contato. Ninguém nunca conseguiu entender a sua decisão de fugir de tudo e todos. Uns dizem que você silenciava um amor impossível. Outros, que você sofria por não conseguir entregar-se a ninguém. Não posso dizer que consegui expurgar o sentimento nostálgico que você ainda me causa. Acho que, finalmente, sou capaz de entender o drama que você vivia – talvez até pior que o meu. Você nunca teve a certeza que eu te amava. Nunca lhe disse isso. Logo que nos conhecemos, recordo-me bem, consegui ver o brilho que havia em seus olhos ao me encontrar. E não valorizei as suas demonstrações constantes de amor por mim, pois naquele momento eu me sentia feliz sozinho, sem ninguém ao meu lado. Nossos tempos não se encontraram. Nossos sentimentos surgiram em épocas distintas. A tristeza que hoje me deprecia é o fato de saber que eu contribuí significativamente para a sua perda. E mesmo amando-me, você preocupou-se em não ceder a um romance incerto; em não acreditar na minha paixão, que surgiu tão inesperadamente. Fugir de mim era a saída para aliviar esse amor que tanto você escondia. Quero poder voltar no tempo. Quero gritar para que você escute, onde quer que esteja, a minha súplica por sua volta. Nos meus sonhos, ainda que imaterialmente, sempre nos reencontramos e vivenciamos o amor que a realidade não nos permitiu viver... - Será que com você também é assim? [Mais uma vez a taciturnidade volta a reinar...]
6 Responses
  1. Dan Says:

    O bom texto é exatamente como esse... Transmite so sentimento a quem o lê. Desliza fácil no cérebro, seguindo o fluxo de todas as veias e, inevitavelmente, atinge o coração. Vicente, suas palavras me deixaram perturbado; a essência do seu pesar se transferiu para mim. Isso foi tão forte que minha pressão sanguínea baixou. Eis exatamente o que busco nos textos: o sentimento! Inegalvelmente, tens o dom de escrever. Pelo pouco que conheço das palavras, fica claro que há traços biográficos em sua citação. Você poderá ser um grande romancista, e misturar suas experiências vividas com uma ficção cotidiana. QUERO IR AO LANÇAMENTO DO LIVRO!!!


  2. A.C.S.S.C. Says:

    Sinceramente... queria ter a flexiblidade que tu tens com suas palavras para expressar o sentimento que toma conta de mim assim que leio seus textos. Mas de uma coisa eu tenho certeza: bate sempre um orgulho imenso de ter como amigo alguém tão talentoso e especial como você!

    Suas palavras estão se tornando meu maior vício... ^^

    Beijos


  3. Kayara Says:

    Ainn MoW!!!

    Vendo teu blog, descobri que...



    Você é o poeta mais lindoOo de todos os poetas!!!

    Huahauhauahua!!!

    Parabéééééns!

    Bjim!

    AmoOo


  4. Simples e sincero.

    Boa noite.


  5. Ana Carolina Says:

    Incólume, assim estou. Livre do perigo da sagaz hipocrisia dos poetas, graças a você.

    Lindas palavras.


  6. Walker Freitas Says:

    Primo! Simplismente PERFEITO, o texto.

    Parabéns!!! Você é um gênio.

    =]