Critical Watcher
É claro que eu pensei que as coisas seriam diferentes. Você tinha tudo para me fazer feliz, pois eu me sentia completo toda vez que estávamos juntos. Eu tinha os melhores sorrisos, os melhores abraços, as melhores frases de amor... Éramos românticos assumidos, lembra? Não consigo pensar em algum dia que nos deixamos de nos falar ao telefone antes de dormir, ou de quando você me faltou com respeito ou quando tivemos uma briga irreconciliável... Porque isso nunca existiu e as coisas eram muito simples, como 2 + 2 = 4. Eu te amava sem medo algum. Você também me amava de forma intensa. Dois amores que aqueciam quaisquer distâncias de uma semana cheia de trabalhos, preocupações e cansaço. O nosso mundo foi criado apenas por nós dois, e ninguém tinha acesso ao nosso paraíso... Lá podíamos ser felizes como bem entendêssemos, poderíamos correr nos jardins mais verdes e ouvir os pássaros mais lindos. Lá construímos um sonho de uma vida a dois. Nossa casa era branca, tínhamos uma piscina imensa e nossa filha, a Bárbara [que relutei para aceitar este nome], era a coisa mais linda que Deus poderia nos dar. Chegava a ser engraçado o quanto nossas diferenças faziam as coisas ficarem mais bonitas, pois juntos aprendemos a aceitar as diferenças e a compartilhar nossos consensos. Você me dizia que eu havia transformado a sua vida, e eu achava que tinha começado a viver depois de você. Até hoje não consigo entender o que aconteceu com nós dois, mas a certeza que guardo comigo é que o nosso paraíso permanece imutável em sua perfeição, como aquela pedra de diamante que nunca foi quebrada e nem tampouco riscada pelo tempo que nos afastamos.

"Tu te tornas eternamente responsável pelo que cativas."

4 Responses

  1. - anderson Says:

    Texto puro como o Pequeno Príncipe, você sempre acerta em tudo que escreve.


  2. escreveu a biografia do amor que vivi.


  3. Sublime, verdadeiro, encantador... Isso tem amor.
    Parabéns!